28 de dez de 2011

O Doador - Lois Lowry


Jonas vive num mundo onde não há pobreza, crime, doença, fome, divórcio, medo ou dor.  Todos têm emprego, família, saúde, educação e lazer. As pessoas são treinadas para manter seus sentimentos sob controle. As regras de conduta são invioláveis, os desejos, reprimidos e o amor é uma palavra excluída do vocabulário. A ordem e a paz reinam absolutas. Mas esse universo cuidadosamente construído começa a desmoronar quando Jonas completa 12 anos. Na Cerimônia anual em que todas as crianças dessa idade recebem dos governantes sua Atribuição – a carreira que deverão seguir para o resto da vida –, o menino vê sua amiga Fiona ser nomeada Curadora de Idosos e seu alegre companheiro Asher ser incumbido da função de Diretor-Assistente de Recreação. Porém, ele foi escolhido para desempenhar um papel especial: o de Recebedor de Memórias. Isso significa que será o único a guardar lembranças do passado e a ter conhecimento dos sentimentos, das sensações e das experiências humanas que foram banidas daquele mundo. Para cumprir sua missão, Jonas é colocado sob a tutela de um sábio ancião, o Doador, que será o responsável por transmitir-lhe as lembranças. À medida que seu treinamento progride, ele começa a desvendar os sombrios segredos que se escondem sob aquela frágil perfeição. Aos poucos, ele passa a questionar o alto preço que sua sociedade paga para eliminar o sofrimento. Até que ponto evitar a dor pode nos tornar mais felizes? Vale a pena abrir mão das emoções para permanecer no caminho certo? Mas não são os sonhos, os desejos e as angústias que dão sentido à nossa vida? Sem conseguir mais se adaptar àquela falsa realidade, Jonas terá outra cruel tarefa pela frente: escolher entre a própria vida e a salvação do seu povo. Envolvente e cheio de suspense, O Doador tem o poder de suscitar nos leitores os mesmos sentimentos conflitantes e angustiantes do jovem herói, fazendo-os pensar no que é uma sociedade perfeita.
Jeff Bridges ("Bravura Indômita") quer adaptar o livro para o cinema. A Variety informou que Bridges e a produtora Nikki Silver compraram os direitos da obra. O ator pode interpretar o personagem título. "Originalmente pensei em meu pai, o falecido Lloyd Bridges, para o papel do Guardião," conta o ator indicado ao Oscar esse ano, que acompanha o projeto já há algum tempo. "Entretanto, aos 61 anos de idade, acho que estou pronto para o papel." Vadim Perelman, o roteirista e diretor por trás do drama "Casa de areia e névoa", está encarregado de adaptar a obra para o cinema.
O livro teve duas seqüências "Gathering Blue" e "Messenger" que não foram editadas no Brasil.


Trecho do Livro AQUI


Nenhum comentário:

Postar um comentário