20 de nov de 2010

Séries: A Passagem - Justin Cronin

Passagem1. A Passagem
Bom, finalmente terminei de lê-lo. O "finalmente" foi bem usado, levando em consideração o número de páginas do livro, que são quase 900 - pra ser mais exata, 815 páginas. Normalmente leio livros em mais o menos um dia, mas esse demorou um tempinho. Além de eu ser superatarefada com a escola e tudo mais, o livro tem uma história bem complexa.
passageNão sei explicar muito bem em palavras o que senti lendo-o. Primeiramente, notei que todos os livros que já li são bobos comparados a este (exceto O senhor dos Anéis e Harry Potter - que também mexeram muito comigo). Terminado o livro, pensei: " É o melhor  livro do mundo."
Fiquei admirada com a narração. Justin Cronin conseguiu idealizar um cenário e passá-lo com palavras para o leitor também ver. Realmente parecia um filme, consegui ver e sentir cada cena. De vez em quando vêm imagens na minha cabeça, e fico tentando lembrar de que filme são, mas aí vejo que são de um livro e foi tudo criado pela minha mente. As cenas de ação faziam minha adrenalina ficar a mil, não precisavam ser detalhadas, precisavam ser rápidas e precisas, e foi o que Justin fez.
A história foi muito bem balançada, um nível bom de cada coisa: ação, suspense, terror, romance, catástrofe e assim vai. Os personagens conseguiam ser mais complexos que a história, a personalidade, o modo de pensar e agir, não dá pra esperar o que vai acontecer; além disso, são muitos e todos tem importância fundamental para  que está acontecendo e o que vai acontecer.
O mais interessante na obra, foi Cronin tê-la dividido em duas partes. Uma antes da catástrofe e outra após mais ou menos 90 anos.
Mas mesmo assim, sinto que nem todos que leiam A Passagem, vão gostar. Infelizmente poucos gostam desse gênero. As pessoas se assustam com a quantidade de páginas ou com a sinopse escrita atrás do livro, porque ultimamente já estamos enjoados de vampiros, mas eu posso afirmar que houveram momentos (vários) em que nem lembrava que era um livro de vampiros; se não me engano, só 1 ou 2 vezes foi citada a palavra “vampiro” no livro, os monstros da história são frequentemente chamados de virais ou fumaças. Não é um livro comum de vampiros e não se encaixa na modinha, nisso podem ficar tranquilos. Então, no iníco da leitura, achei que se tratava de uma versão um pouco diferente de Eu Sou a Lenda e de um tema meio manjado. Mas, conforme fui lendo, comecei a acreditar que Justin Cronin é o gênio da década. A tempos não via tão bom livro. Fiquei encantada pelo mundo que Justin criou e fiquei mais impressionada ainda ao imaginar como ele pôde criar tudo isso - se bem que isso já aconteceu antes, com Tolkien, J.K. Rowling e C.S. Lewis. Poderia ficar dias elogiando A Passagem, mas não vou chegar a lugar nenhum, pois estou tendo uma dificuldade imensa de expressar o quanto gostei dele.
Até agora, não encontrei ninguém que conheço lendo-o, espero encontrar, porque eu amo comentar esse tipo de coisa e meus pais já se encheram de me ouvir falando disso. Espero que quem leia este comentário, comece a ler o livro por curiosidade, garanto que não vão conseguir parar.
Normalmente, tamanho não é documento, mas neste caso é, e muito.
As continuações - que serão duas - ainda não chegaram em nenhuma livraria, assim que chegar ou que eu receber a sinopse, postarei no blog, porque nem eu aguento de curiosidade. A guerra vai começar.
Os direitos do livro também já foram comprados pela Fox 2000 (foram pagos aproximadamente 2 milhões de dólares), agora é só esperar ver tão boa história nas grandes telas. Vou torcer para não estragarem.
O segundo "The Twelve" (Os Doze - no caso do livro, são os primeiros virais, aqueles que antes de tudo haviam sido homens a caminho do corredor da morte, portanto, controlam os demais) tem previsão de lançamento para 2012 nos EUA e o terceiro, "The City of Mirrors" (A Cidade dos Espelhos), para 2014. Muita espera pela frente!


Do site La Sorcière, retirei este comentário: "Leia sem medo de ser feliz: o final é bastante satisfatório, você não fica desesperado, se sentindo lesado por ter ficado tudo para o próximo volume. Pare tudo e vá ler AGORA! Denso, reflexivo e viciante, A Passagem foi, com certeza, uma de minhas melhores leituras deste ano."
Do site Romances in Pink, retirei: "O livro é uma ficção que cabe em diferentes gêneros. Ficção científica pós-apocalíptica, thriller de horror, suspense e até mesmo drama. Mas na verdade, segundo o próprio autor, a sua narrativa sombria passa ao leitor questões básicas que nós enfrentamos como seres humanos. O que significa ser um ser humano? E quem está apto a ser um? O que você daria pela imortalidade?"


Sinopse Oficial:
"Esta é a história de vampiros que você não pode perder: 15 páginas são suficientes para cativá-lo; depois de 30, você se descobrirá prisioneiro, lendo noite adentro. Um livro com a força dos épicos.” – Stephen King
Primeiro, o imprevisível: a quebra de segurança em uma instalação secreta do governo norte-americano põe à solta um grupo de condenados à morte usados em um experimento militar. Infectados com um vírus modificado em laboratório que lhes dá incrível força, extraordinária capacidade de regeneração e hipersensibilidade à luz, tiveram os últimos traços de humanidade substituídos por um comportamento animalesco e uma insaciável sede de sangue.
Depois, o inimaginável: ao escurecer, o caos e a carnificina se instalam, e o nascer do dia seguinte revela um país – talvez um planeta – que nunca mais será o mesmo. A cada noite, a população humana se reduz e cresce o número de pessoas contaminadas pelo vírus assustador.
Tudo o que resta aos poucos sobreviventes é uma longa luta em uma paisagem marcada pelo medo da escuridão, da morte e de algo ainda pior. Enquanto a humanidade se torna presa do predador criado por ela mesma, o agente Brad Wolgast, do FBI, tenta proteger Amy, uma órfã de 6 anos e a única criança usada no malfadado experimento que deu início ao apocalipse.
Mas, para Amy, esse é apenas o começo de uma longa jornada – através de décadas e milhares de quilômetros – até o lugar e o tempo em que deverá pôr fim ao que jamais deveria ter começado.


No site ofical do livro, podem baixar o 1º capítulo, assim que conseguir o livro todo, postarei.
http://www.sextante.com.br/apassagem/download.htm

2. Os Doze

No final de A Passagem, a grande praga viral deixou um pequeno grupo de sobreviventes agarrarem-se à vida em meio a um mundo transformado em um pesadelo. No segundo volume desta trilogia épica, esse mesmo grupo de sobreviventes, liderado pela misteriosa e carismática Amy, partem para o ataque, iniciando uma insurreição contra os virais: as primeiras ofensivas da Segunda Guerra ViralPara fazer isso, eles devem se infiltrar em uma dúzia de colmeias, cada uma ocupadas por um dos Doze originais. Sua arma secreta: Alicia, transformada no final do livro um em metade humana, metade viral – mas de que lado, no final, ela é realmente esta?