9 de jan de 2011

Séries: Os Magos

Do autor Lev Grossman.
1. Os Magos
Conheça Quentin Coldwater: um gênio precoce às vésperas de entrar na faculdade. Como a maioria das pessoas, Quentin acreditava que a magia não era algo real. Tudo muda quando ele é surpreendentemente admitido em uma universidade – muito antiga, muito secreta, muito exclusiva – de estudos mágicos, ao norte de Nova York. Após se esgueirar por um terreno baldio do Brooklyn na tarde de inverno em que deveria ter feito sua entrevista para entrar em Princeton, Quentin se vê, em pleno verão, no idílico campus da misteriosa Brakebills. Ali – não antes de um difícil e cansativo exame de admissão –, ele dá início a uma extensa e rigorosa iniciação ao universo acadêmico da feitiçaria moderna; ao mesmo tempo, descobre também os princípios boêmios da vida universitária: amizades, amores, sexo e álcool. Um vislumbre da vida adulta? Os anos de estudo passam rápido, mas algo não se encaixa. Mesmo aprendendo a praticar feitiços, transformar-se em animais e ganhar poderes que jamais imaginou existir, a magia não preenche o vazio que, no fundo, Quentin sempre sentiu. Após a formatura, ele e seus amigos passam a dividir um apartamento no coração de Manhattan. Dinheiro não é problema, e eles embarcam num estilo de vida hedonista e sem propósito, pontuado por crises existenciais. Uma incrível descoberta, no entanto, lança-os num projeto ambicioso, uma jornada mágica que pode ser a resposta aos anseios de Quentin. Mas essa expedição acaba tornando-se muito mais sombria e perigosa do que qualquer um poderia imaginar. O sonho de infância revela-se um pesadelo que esconde uma terrível verdade.


2. O Rei Mago
Passaram-se dois anos desde que Quentin Coldwater deixou o nosso mundo para, ao lado de Eliot, Janet e Julia, assumir um dos quatro tronos de Fillory, o reino mágico saído das páginas de uma adorada série de literatura fantástica que, assim como a magia, ele descobriu ser algo bem real. Apesar de a incursão anterior ao território filloriano ter sido trágica, ele agora desfrutava de um reino em tempos de paz, cercado de todo o luxo que uma nobreza real poderia oferecer e adorado por seus agradecidos súditos pagadores de impostos. Como reclamar de um final feliz como esse? Quentin, no entanto, não se sentia um herói. E achava que a aventura ainda não tinha acabado. Ele tinha razão.
Agora, exilado no mais tedioso e “não mágico” subúrbio do Brooklyn, Quentin finalmente tem a chance de se tornar o herói que sempre desejou ser. Mas logo fica claro que é da magia marginal de Julia, a amarga e reservada Julia – aprendida nas ruas, longe da proteção dos professores de Brakebills e sabe-se lá a que custo – que os dois dependem para voltar para casa e salvar algo muito maior da ameaça que os colocou nesse apuro. 
Repleto de surpresas, humor negro e um amor genuíno pelo gênero fantástico, O Rei Mago dá continuidade à aventura iniciada em Os Magos – sucesso de público e de crítica prestes a ser adaptado para uma série de TV. Os jovens magos de Lev Grossman, irônicos, maldosos e ambíguos, dão mais um passo rumo ao sombrio mundo adulto de escolhas e arrependimentos, mais perigoso que qualquer mundo de fantasia jamais criado. Um lugar em que jornadas não implicam achar, mas transformar-se em algo. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário