24 de jan de 2010

Alyson Nöel

Alyson nasceu e cresceu em The OC - Orange County (embora não era chamado assim, até o lançamento da série de televisão), frequentou a escola primária Richard Nixon durante dois anos, um fato que achaao mesmo tempo divertido e embaraçoso.
Após o colegial, estava desesperada para fugir subúrbio e ver o mundo, então depois de muitas viagens para a Europa, finalmente estabeleceu-se em Mykonos, Grécia por vários anos, antes de se mudar para Manhattan por vários outros, onde trabalhava como comissária de bordo de uma grande companhia aérea e escreveu o romance de estréia, Faking 19. Então um dia, estava visitando um amigo na praia de Newport e e conheceu o marido. E não demorou muito antes de se ver em um círculo completo, voltou para The OC onde mora e escreve em tempo integral.


Entrevista com a autora:
1. Você sempre quis ser uma escritora?
Bem, primeiro eu queria ser uma sereia, e em seguida, uma princesa, mas o dia que eu terminei meu primeiro livro de Judy Blume Eu sabia que queria ser uma escritora. Eu sempre fui uma leitora ávida, começando com Green Eggs and Ham, e progredindo através de Charlotte's Web, e todas as Little House sobre os livros Prairie. Mas era Are You There God? It's me Margaret , and Deenie, que senti que havia sido escrito só para mim e meus amigos, por causa do que estávamos passando. Esse livro me fez ver que uma história pode ser muito mais.
2. Boa parte do que você escreve é baseada em suas experiências de vida?
Grande parte! Embora os livros sejam mais ficção. Alex, em Faking 19, passava pelo mesmo que eu, pais divorciados e meio perdido no mundo. E Rio, em Art Geeks and Prom Queens, eu sei como é ser nova numa escola e ter todas as garotas te odiando.
3. Que dica você daria para aspirantes a escritoras?
Nada muito novo, só leia, leia e leia. Depois, escreva. Tudo vem junto. Não deixe que as cartas de rejeição te deixem para baixo. Basta um "sim" para chegar onde você quer ir.
4. Qual foi seu livro preferido quando criança?
Eu aprendi a ler com Horton Hatches the Egg, e ainda do próprio original! Eu mesmo escrevi meu nome na contracapa, (embora o S é para trás). Charlotte's Web é o primeiro livro que me fez chorar (quer dizer, eu estava chorando!). E acho que li Deenie pelo menos 15 vezes (e eu mantive a cópia original como um bem precioso).
5. Orange County se tornou muito popular ultimamente por cauda da série The OC e Laguna Beach. Você é residente de Laguna Beach e em seus livros, Laguna Cove e Art Geeks and Prom Queens, serve de cenário. O que você acha que torna a área tão atraente para jovens e adultos?
Orange County mostra muito o lado Californiano, o ótimo clima, as belas praias, o estilo de vida descontraído, lojas incríveis, ótimos restaurantes e é pertinho de Los Angeles, as montanhas, os lagos ou o deserto. Eu vivi em Mykonos e Manhattan, e amava tanto esses lugares, mas estou feliz por estar de volta em The OC!
6. Qual livro você não viveria sem?
Story, by Robert Mckee. Eu não vivo sem ele.
7. Quais são alguns de seus hobbies?
Mesmo depois de muitos anos como comissária de bordo, meu hobby ainda é viajar. Daí que minhas frasqueiras de shampoo estão sempre cheias, pronta para sair.
8. Qual o seu ambiente de trabalho?
Um pequeno escritório em casa com as coisas habituais, como mesas, cadeiras, fax, telefones, impressoras e computadores, uma placa de boletim coberto de imagens que me inspiram, uma bicicleta recumbent onde eu recupero o atraso lendo revistas, e uma vista para o mar. Eu fecho as cortinas, para não me permitir esse tipo de distração.
9. Desde que se tornou escritora, quais são as lições que você acabou aprendendo?
Que eu entro sempre em pânico antes do livro ser lançado, isso não faz muito bem.
Que as idéias brilhantes que aparecem durante a noite sempre desaparecem pela manhã.
Que nunca é tarde demais para seguir seu sonho, mas não há nada de errado com ter um princípio.
10. Qual é a sua palavra favorita?
Paz.
11. Qual a palavra que você menos gosta?
Câncer
12. Sábado á noite? Sair ou ler um livro?
Sair para um jantar agradável e voltar a tempo para ler
13. Feriado. Praia ou montanha?
Mesmo morando na praia, eu ainda prefiro a praia.
14. País ou cidade?
Eu AMO grandes cidades, a energia, as compras, os restaurantes.
15. Filme. Comédia ou drama?
Drama.
16. Tímido ou extrovertido?
Sincero, com um ataque ocasional de timidez inexplicável.
17. Sério ou engraçado?
Sempre a procura do engraçado.
18. Viajante ou não?
Viajante. Quase sempre.
19. Desportivo ou não?
Desajeitado, descoordenado, e por isso não desportivo!
20. O líder do grupoou não?
Sempre o observador.
21. Série de tv?
Empate entre The Office e Entourage.
22. Filme?
Tenho muitos favoritos, mas se eu tiver que escolher apenas um, American Beauty.
23. Livro?
Isso é tortura! Novamente, eu amo tantos livros de tantos gêneros! Mas desde que eu li Catcher in the Rye um gazilhão de vezes eu vou pegar esse.
24. Música?
Classic rock, '80 's, blues, jazz ...
25. Alimentação:
Bistrô francês.
26. Cidade:
Paris!
27. Lugar favorito para escrever:
Meu escritório em casa, ele tem tudo que eu preciso.
28. Frase ou lema:
 "Quando você chegar a uma bifurcação na estrada, levá-la." -Yogi Berra
29. Qual a pergunta que gostaria de receber, mas nunca recebeu?
Bono na linha dois, ele diz que quer levá-la para jantar. O que devo dizer a ele.
30. Por que você decidiu seguir o gênero para jovens adultos?
Na verdade, essa não foi uma decisão consciente e eu nem reparei que já tinha escrito um livro nesse gênero até a hora de comprá-lo. Eu estava realmente sem pistas naquela época (sério, incrivelmente sem pistas!), e, para mim, eu tinha acabado de escrever a história que eu queria contar, que acontecia de ter uma adolescente como protagonista. Mas não demorou muito até eu perceber que amava escrever esse gênero – é incrivelmente gratificante ouvir de jovens leitores – e, tirando meu único livro adulto, “Fly Me to the Moon”, eu nunca mudei de idéia.
31. O que alguém que tem interesse em escrever para jovens adultos precisa saber?
Eu acho que você precisa ter uma conexão e compaixão verdadeira com a adolescência, lembrar como era vivenciar todas aquelas “primeiras vezes” e como tudo parecia maior que a vida. Na verdade é mais fácil para mim escrever numa voz adolescente do que numa voz adulta, mas eu nunca me senti realmente crescida, então provavelmente esse é o motivo!
32. Como que você teve a idéia para a série Os Imortais? Você sempre planejou que fosse uma série?
Não, quando eu comecei a escrever, eu estava tão focada na história de Ever (a personagem principal) que não foi até eu chegar ao final que eu percebi que com eles sendo imortais, tinha muito mais a ser contado.
A inspiração por trás da história foi o luto, decorrido do tempo a alguns anos quando eu perdi várias pessoas queridas seguidas e então praticamente perdi meu marido também. Eu meio que joguei todos os meus sentimentos de perda na jornada de Ever em lidar com os dela, e escrever a história dela realmente me ajudou a fazer sentido da minha.

Suas Publicações:
Faking 19
Art Geeks and Prom Queens
Laguna Cove
Kiss & Blog
Saving Zöe
Cruel Summer
Evermore
Blue Moon
Shadowland

Nenhum comentário:

Postar um comentário